12/01/15
Krav Maga
Motivação
POR:

Krav Maga

nair_hababi-Krav.Maga

Por volta de 2006 quando tive os primeiros sintomas de síndrome do pânico, pesquisei sobre Defesa Pessoal no meu amigo Google e encontrei o Krav Maga. Porém, nesta época, eu estava iniciando um processo de depressão, e meio que juntou tudo, então não tive coragem para ir fazer uma aula teste.

Foi um período muito difícil, pois a depressão me pegou com força total, ou talvez eu tenha permitido isso…não sei… Mas enfim, tive que buscar ajuda médica, pois eu já estava muito deprimida e achava que toda aquela violência que eu assistia na TV poderia acontecer comigo a qualquer momento. Gente, é uma piração… A pessoa depressiva acaba somatizando tudo de ruim que passar pela cabeça dela, e foi o meu caso.

Comecei então a tomar medicação. Por um tempo foi ótimo, conseguia ter uma vida mais normal. Mas chega um momento que o efeito já fica mais reduzido, e daí é hora de aumentar a dose. No meu caso, isso não resolveu. Daí troquei o remédio, e tive efeitos colaterais. Comecei a engordar e a ter espinhas, inclusive no corpo. Isso mexeu com a minha autoestima, é claro. Trocamos novamente o remédio que, segundo o médico, era a sensação do momento. Resultado: tive um efeito colateral terrível…prefiro nem comentar… E junto eu fazia terapia, daí fui diagnosticada bipolar. Sim…bipolar…E eu comecei a acreditar nisso, e assim eu já me achava uma pessoa doente e sem saída.

Quando resolvi ter meu segundo filho, fiquei com muito medo de passar a medicação para meu bebê. E bem nessa época troquei o médico. Para minha total surpresa, na primeira consulta ele me disse uma coisa que iria mudar completamente o rumo da minha história: que eu não era bipolar.

E disse que se eu pudesse evitar a medicação durante a gravidez seria o ideal, e então ele programou um “desmame” para que eu fosse deixando a medicação gradativamente. Quando parei totalmente a medicação, eu engravidei.

Passei a gravidez toda sem os remédios, e desde então tenho a felicidade de poder dizer que já faz 5 anos que não tomo mais antidepressivos. Que fique claro que não estou dizendo que quem precisa tomar está errado, não é isso!!! O que acontece é que eu tive muitos altos e baixos durante o tratamento: às vezes eu estava extremamente feliz e em outras vezes extremamente triste. Sem contar todos os efeitos colaterais ao longo do tempo, então hoje poder estar bem sem os remédios me fazem sentir livre.

Assim que meu segundo filho nasceu, pesquisei novamente sobre o Krav Maga. Mas desta vez, tomei coragem e fui.

O Krav Maga foi a primeira luta que tive contato na vida, e foi fundamental para um período em que eu ainda estava me conhecendo sem estar medicada.

IMG_0512-1-copy-2

O principal benefício do Krav Maga foi, sem dúvida, ter me dado autoconfiança. Pois o princípio do Krav Maga é a Defesa Pessoal, e então estar aprendendo a me defender me fez sentir muitíssimo mais segura e confiante. Claro que a autoestima também melhora. No meu caso, a minha autoestima era muito baixa, quase inexistente! Hoje percebo o quanto minha autoestima aumentou…e o quanto ela é importante para o equilíbrio de nossas vidas! Arrisco dizer que ela é essencial, pois sem ela é difícil ir muito longe.

IMG_0516-1-copy

Esse foi o meu início no universo das lutas…foram elas e são elas que me alavancam das piores situações que já passei.

Treinei o Krav Maga por 3 anos, troquei de faixa 2 vezes onde cheguei na faixa laranja. Os treinos são muito intensos, e o treinamento consiste em movimentos de defesa, imobilização e ataque, quando necessário.

faixa_krav_maga-nair_hababi

Minha faixa laranja de Krav Maga.

Treinamos o mesmo movimento inúmeras vezes e isto é um ponto positivo, pois quanto mais perfeito for o movimento maior será sua eficiência. E estar confiante que você saberá conduzir uma situação de risco dá o autocontrole e autoconfiança suficientes para que possamos levar uma vida com bem menos stress emocional.

Vocês até podem se cansar de me ouvir falar sobre autoestima, autocontrole e autoconfiança. Mas saibam que, sem eles, é difícil manter uma vida equilibrada, por isso é tão importante buscarmos a evolução dessas 3 bases.

De fato o Krav Maga me ajudou muito a superar os medos que eu tinha em relação à violência, e a superar os meus próprios medos e limitações.

Um exemplo clássico disso é, por exemplo, o medo que eu tinha de sabe o quê?? Pular cela…alguém já brincou disso?? Então, “pular cela” fazia parte do aquecimento, e eu não conseguia fazer… De toda a turma, apenas eu e um outro menino não conseguíamos. Eu olhava para o professor e dizia que eu não conseguia fazer aquilo, e ele sempre respeitou isso e me dizia para ter paciência e não fazer caso eu me sentisse desconfortável. Essa atitude dele me confortava, mas eu me cobrava e ficava chateada comigo mesma de não conseguir fazer algo tão “idiota” rs… E passei meses assim, até que um dia pensei: qual é o meu medo exatamente?? A resposta foi clara…meu medo era cair e que com isso as pessoas iriam me achar ridícula…

Bom, sabendo disso, ficou mais fácil…Ok, então se eu cair do chão não passo, não é isso que todos dizem?? Perfeito. E quanto ao que os outros vão achar caso eu caia e passe por um ridículo?? Os outros??? Os outros não pagam minhas contas, então que se danem os outros! Não é isso o que as pessoas também sempre dizem??!

Peguei e arrisquei e pulei a tal cela! E para minha total e completa surpresa, eu consegui!!! Não caí e tampouco passei ridículo! Por isso eu digo: ter auto-controle é fundamental. Nossa mente pode atuar  tanto contra como a favor de nós, mas quem controla nossa mente somos nós mesmos. Enquanto eu achava que eu jamais iria conseguir, eu realmente não iria conseguir. A partir do momento que eu resolvi que eu poderia sim conseguir, eu tentei e consegui.

IMG_0487-1-copy-copy-copy-copy-copy

Teve um outro desafio uma certa vez em que o professor ia colocando barreiras e tínhamos que pular e fazer um rolamento em seguida. Só que a cada vez ele ia colocando mais almofadas e a barreira ia ficando maior, aumentando o grau de dificuldade. Até certo ponto eu conseguia, mas quando eu via que estava muito alta, eu empacava e não conseguia pular…

Todo mundo estava olhando e eu ficava chateada comigo por isso…e novamente, a atitude positiva do professor de respeitar isso e me dizer que não havia problema, me fazia ficar tranquila e respeitar o meu próprio tempo.

E novamente chegou um dia em que pensei: hoje eu vou arriscar! E quando chegou a vez da barreira estar numa altura que eu achava que eu não iria conseguir, pulei! Derrubei um monte de almofadas, mas pulei! rs O professor fez sinal positivo, e fiquei feliz. Não foi aquela maravilha de salto mas pulei, e desde então fui evoluindo e derrubando menos almofadas, por vezes, sem derrubar nenhuma!

IMG_0499-1-copy

Mas isso é um exercício também. Por isso são muitos e muitos treinos, nada acontece de uma hora pra outra. E não posso deixar de mencionar que o apoio que meus colegas de treino sempre me deram também foi muito importante.

Por isso eu amo tanto as lutas. São elas que me desafiam a me superar nos meus maiores medos e fraquezas. Que exigem que eu seja muito mais persistente e perseverante em tudo o que me propuser, pois tudo deve ser conquistado, nada vem pronto em fórmulas mágicas. Por acaso fomos alfabetizados num passe de mágica? Quantos anos tivemos que frequentar a escola para adquirir tantos conhecimentos que temos hoje?

A escola da vida também é assim…ela nos exige uma frequência diária para aprendermos o que não é ensinado na escola. Não faltem nestas aulas…

Beijos.

Na

2+

Comente esse assunto no facebook

Deixe seu comentário aqui no blog!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Comentário:Krav Maga

  1. John

    Excelente… Comecei a fazer Krav Maga há uns 4 mêses, justamente num momento muito triste da minha vida. Krav Maga é uma forma de viver melhor, é um guia. Parabéns pela tua perseverança e coragem!
    KIDA!

    • Nair Hababi

      Excelente, John!! Vc verá que sua vida tomará novos rumos com a prática do Krav Magá. Parabéns pela conquista! Kida.

Posts Relacionados com essa matéria