17/02/16
Jiu Jitsu
Motivação
POR:

Síndrome do pânico: saiba como o Jiu Jitsu pode ajudar você.

nair_hababi-jiu_jitsu-jiu_jitsu_mulheres-superação

Hoje vou contar um pouquinho como o Jiu Jitsu me ajudou a curar alguns dos sintomas de síndrome do pânico.

Sempre ouvi a seguinte frase: “você tem que enfrentar os seus medos.” Isso seria fabuloso se fosse fácil. Quem tem síndrome do pânico sabe que estar de frente com aquilo que o assusta não á tarefa nada fácil.

Entenda como você pode, pelo menos, melhorar os sintomas.

Medos todos temos… Cada um tem um medo diferente e cada um no seu grau. Às vezes escutamos que certas pessoas têm realmente pavor de certas coisas que para nós não significam absolutamente nada. E nós temos pavor de coisas que os outros tiram de letra.

Porém, devemos ficar atentos quando esses medos saem do nosso controle e passam a atrapalhar nossas vidas!

Para mim, ficar num lugar fechado como um elevador, por exemplo, sempre me causou um certo pavor. Até que um dia, finalmente, fiquei presa em um. Pronto, essa foi a desculpa que faltava para que sempre que eu entrasse em um elevador meu coração começasse a disparar.

Só que isso foi aumentando, e foi se alastrando para outros lugares também. Por exemplo, até dirigir em estradas, marginais, ou seja, lugares com um fluxo muito intenso de carros e com velocidades altas, me trazia angústia. Eu sempre que tinha que parar no acostamento para me tranquilizar.

Mas como eu superei isso?

Apesar de eu ter procurado terapias e medicamentos, que eram tratamentos paliativos e temporários, o que me curou mesmo foi com algo inesperado: a prática do Jiu Jitsu.

Para quem nunca fez um treino de Jiu Jitsu antes, ele funcionou para mim pelo o seguinte: durante os treinos que são de total contato com o colega, passamos por situações muitas vezes bem desconfortáveis. Estamos falando de uma ‘luta” onde buscamos uma finalização por vários golpes, entre eles: estrangulamento e chave de braço.

Muitas vezes, meus colegas de treinos eram homens e mais pesados do que eu, então eu normalmente ficava numa posição bem desfavorável, onde eles pesavam muito forte sobre meu corpo a ponto da minha respiração ficar difícil.

Eu na situação onde fui pega pelas costas em situação de possível estrangulamento.

Eu na situação onde fui pega pelas costas em situação de possível estrangulamento.

No começo eu “panicava” hahaha e já batia os 3 tapinhas para sinalizar o término da luta. E isso perdurou por algum tempo. Após alguns meses de treino, eu já comecei a me acostumar com essa pressão toda. E meu professor sempre me falava que eu tinha que tentar ter o controle emocional para raciocinar diante de uma situação desfavorável.

Esse foi um exercício muito interessante e importante.

Imaginem você ter um homem pesado em cima de você tendo te imobilizado e, aparentemente, sem chances de você sair daquela situação. Imaginaram? Ok! Era justo nesse ponto que eu já interrompia a luta. Mas com o tempo, eu comecei a pensar: bom, tenho que fazer algo para sair daqui. E foi a partir desse momento que minha vida passou a mudar, pois eu comecei a raciocinar

A essa altura dos treinos, eu já havia passado pelas situações mais difíceis e já detinha alguma técnica. Então controlar minha ansiedade para parar de querer sair daquela situação de qualquer jeito, (porque de qualquer jeito não é possível, você gasta suas energias, se esgota e não resolve), foi o segredo. Eu comecei a raciocinar e a começar a usar os meus “sentidos“, pois muitas das vezes eu não estava vendo nada, porque simplesmente a pessoa estava completamente em cima de mim!

Daí eu tive que começar a usar, por exemplo, os pés livres para sentir como a pessoa estava se posicionando em cima de mim. Tive que, a partir disso, definir estratégias para sair daquela posição de total desvantagem.

Uma das situações mais "desesperadoras"... sendo amassado e imobilizado...

Uma das situações mais “desesperadoras”… Neste caso, um homem sendo amassado e imobilizado pela campeã mundial faixa-preta Gabi Garcia.

E quando eu consegui esse controle psicológico, eu já estava vencendo meus medos. E, finalmente, quando conseguia através da técnica me desvencilhar da situação de “perigo”, era uma verdadeira vitória. Sim, eu conseguia surpreender meus “adversários”, nem sempre vencendo, mas pelo menos, ganhando uma chance de sobrevivência para algo que parecia impossível.

Como eu treinava constantemente e com muito empenho, meu resultado foi relativamente rápido.

Claro que o que funcionou para mim talvez não funcione para você, mas lembre-se de pelo menos procurar enfrentar esses medos de alguma forma. Superação

Beijos.

1+

Comente esse assunto no facebook

Deixe seu comentário aqui no blog!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados com essa matéria